Padrão Oficial do Fila Brasileiro StandardStandard Oficial – Fila Brasileiro

              

 

GRUPO 2
Padrão CBKC 225 a 10/04/1994
Classificação F.C.I.:
Grupo 2 Pinscher, Schnauzer, Molossos e Boiadeiros Suiços
Seção 2.A Molossos do Tipo Dogue
Padrão nº 225 – 01 de janeiro de 1984
País de Origem Brasil
Nome no País de Origem Fila Brasileiro
Utilização guarda e boiadeiro
Prova de Trabalho para o campeonato, exige Prova de Temperamento
(*) atualmente a prova de temperamento esta suspensa pela CBKC

 

APARÊNCIA GERAL: raça tipicamente molossóide. Poderosa ossatura, figura retangular e compacta, harmoniosa e proporcional. Apresenta, aliada a uma massa muscular, grande agilidade concentrada e facilmente perceptível. As fêmeas devem exibir feminilidade bem pronunciada, diferenciando-se, nitidamente, dos machos.

COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO : dotado de coragem, determinação e valentia notáveis. Para com os de sua casa é dócil, obediente e extremamente tolerante com as crianças. É proverbial sua fidelidade, procurando com insistência a companhia dos donos. Caracteriza-se pela aversão a estranhos. De comportamento sereno, revelando segurança e confiança própria, absorve perfeitamente ambientes e ruídos estranhos. É fiel à guarda da propriedade, dedicando-se, também, e, por instinto, às lides de gado e à caça de animais de grande porte.

MOVIMENTAÇÃO: passos largos, elásticos, lembrando os dos felinos. A característica principal é a movimentação dos dois membros, de um mesmo lado, para depois movimentar os do outro (passo de camelo); o que lhe confere movimentos gingantes, com balanço lateral do tórax e dos quadris, acentuados na cauda, quando está erguida. Na passada, a cabeça é portada abaixo da linha do dorso. Trote fácil, suave, livre, de passadas largas, com bom alcance e rendimento. Galope poderoso, alcançando velocidade insuspeita em cães de tal porte e peso. A movimentação do Fila Brasileiro é sempre influenciada por suas articulações, típicas do molossóide, o que, efetivamente, lhe permite súbitas e rápidas mudanças de direção.

EXPRESSÃO: em repouso é calma, nobre e segura. Nunca apresenta olhar vago ou de enfado. Em atenção, sua expressão é de determinação, refletida num olhar firme e penetrante.

CABEÇA: grande, pesada, maciça, sempre em harmonia com o tronco. Vista de cima, o aspecto é periforme, inscrito num trapézio. Vista de perfil, o crânio e o focinho guardam a proporção aproximada de 1:1, sendo o focinho ligeiramente menor que o crânio.

Crânio: (3) de perfil, mostra suave curva, do stop ao occipital, que é bem marcado e saliente, notadamente nos filhotes. De frente, é largo, amplo, com a linha superior ligeiramente arqueada. As faces laterais descem em curva, quase vertical, estreitando-se para o focinho, sem fazer degrau. 

Stop: (2) visto de frente, é, praticamente, inexistente. Sulco sagital em suave ascendência até, aproximadamente, a metade do crânio. Visto de perfil, é baixo, inclinado e, virtualmente, formado pelas arcadas superciliares muito desenvolvidas.

Focinho: (1) forte, largo, profundo, sempre proporcional ao crânio. Visto de cima, é cheio sob os olhos, estreitando-se, muito levemente, até o meio, alargando-se, também levemente, até a curva anterior. Visto de perfil, a linha superior é reta ou levemente romana, nunca ascendente. A linha anterior é quase perpendicular à linha superior, com ligeira depressão logo abaixo do nariz, e seguindo para a linha inferior por uma curva perfeita dos lábios superiores, que são grossos, pendentes, sobrepõem-se aos inferiores, definindo a linha inferior do focinho, quase paralela à superior, terminando com a comissura labial sempre aparente. Lábios inferiores: bem ajustados ao maxilar, da ponta do queixo até os caninos, soltos daí para trás, com as bordas denteadas. Focinho de boa profundidade na raiz, sem ultrapassar o comprimento. Na oclusão dos lábios, a rima labial se delineia em forma de “U” invertido, profundo.

Trufa: narinas de cor preta, largas, bem desenvolvidas, sem ocupar toda a largura do maxilar.

Olhos: de tamanho médio a grande, em formato amendoado e bem afastados, de inserção média a profunda; a coloração vai, do castanho escuro ao amarelado, sempre de acordo com a pelagem. Devido à pele solta, muitos exemplares apresentam pálpebras caídas, detalhe que não deve ser considerado falta, pois aumenta o aspecto triste do olhar típico da raça.  

Orelhas: grandes, grossas, em forma de “V”. Largas na base, estreitando-se na extremidade arredondada. Inserção inclinada, com o bordo anterior mais alto que o posterior, na parte mais posterior do crânio, na altura da linha média dos olhos, quando em repouso. Quando em atenção, a base eleva-se acima da inserção. Portadas caídas de lado (1) ou dobradas para trás (2), mostrando o seu interior.

Dentes: caracterizam-se pela maior largura em relação à altura. São fortes e claros. Os incisivos superiores, largos na base e afilados na ponta. Os caninos são poderosos, bem inseridos e afastados. A mordedura ideal é em tesoura, sendo admissível a mordedura em torquês.

PESCOÇO: extraordinariamente forte e musculoso, dando a impressão de curto. Linha superior levemente arqueada, destacando bem a passagem do crânio para a nuca. Garganta provida de barbelas.

LINHA SUPERIOR: cernelha inclinada, aberta, devido ao afastamento das escápulas, e ligeiramente mais baixa que a garupa. Após a cernelha, a linha superior muda de direção, ascendendo até a garupa, sem qualquer tendência a sela ou carpeamento.

GARUPA: angulada aproximadamente a 30º com a horizontal; larga, longa, delineando uma curva suave. Pouco mais alta do que a cernelha. Vista por trás, a garupa deve ser ampla, de largura aproximadamente igual à do tórax, podendo ser ainda mais larga nas fêmeas.

TRONCO: forte, largo e profundo, revestido de pele grossa e solta. Tórax mais longo que o abdome. O comprimento do tronco, medido do antepeito à parte posterior da nádega, é determinado pela altura da cernelha, mais 10%.

TÓRAX: costelas de bom arqueamento, sem, todavia, influenciar a posição dos ombros; peito largo e profundo, atingindo a ponta do cotovelo. Peitorais (antepeito) bem salientes.

FLANCOS: menos longos e menos profundos que o tórax, mostrando a separação de suas regiões integrantes. Nas fêmeas, as abas do flanco são mais desenvolvidas. Visto por cima, é menos largo e cheio que o tórax e a garupa, porém, sem marcar cintura.

LINHA INFERIOR: peito longo e paralelo ao solo, em toda a sua extensão. Ventre suavemente ascendente, nunca esgalgado.

ANTERIORES: ombros idealmente estruturados por dois ossos de igual tamanho (escápula e úmero), sendo que, a escápula faz 45º com a horizontal e aproximadamente 90º com o úmero. A articulação escápulo-umeral, que forma a ponta do ombro, está situada no mesmo nível e um pouco atrás da ponta do esterno. O ideal é que o ombro ocupe o espaço da cernelha ao esterno, e a ponta do ombro se situe à meia altura dessa distância. Uma perpendicular, baixada pela cernelha, deve atravessar o cotovelo e recair na pata. A altura do cotovelo ao chão é igual à do cotovelo à cernelha. Braços paralelos, de ossatura poderosa e reta, carpos fortes e aparentes, metacarpos curtos, levemente inclinados.

Patas: formadas por dedos fortes e bem arqueados, não muito juntos, apoiados em digitais espessas e contornando almofadas plantares largas, profundas e grossas. Em sua posição correta, os dedos devem apontar para a frente. Unhas fortes, escuras, podendo ser brancas quando essa for a cor do respectivo dedo.

POSTERIORES: de ossatura forte, ligeiramente mais leve que a dos anteriores, porém nunca deverá parecer fina em relação ao todo. Coxa larga, de contorno abaulado, formada pelos músculos que descem do ílio e do ísquio, que delineiam a curva da nádega, razão de exigir-se o ísquio de bom comprimento.

Pernas: paralelas, tarsos fortes, metatarsos levemente inclinados, mais altos que os metacarpos. Angulações do joelho e jarrete, moderadas. 

Patas: iguais às anteriores, apenas, um pouco mais ovaladas. Não devem apresentar ergôs.

CAUDA: de raiz muito larga, inserção média, afinando rapidamente, com a ponta alcançando o nível do jarrete. Quando o cão está excitado, eleva-se, acentuando a curva da extremidade. Não deve cair sobre o dorso ou enroscar-se.

ALTURA: machos: 65 a 75 cm.

fêmeas: 60 a 70 cm.

PESO: machos, mínimo de 50 kg.

fêmeas, mínimo de 40 kg.

COR: o branco, cinza rato, malhado, manchetado, preto e canela e azul são cores não permitidas. São permitidas todas as cores sólidas, tigradas de fundo nas cores sólidas, com rajas de pouca intensidade até os fortemente rajados, podendo ou não apresentar máscara preta. Em todas as cores permitidas, admitem-se marcações brancas nos pés, peito e ponta da cauda. Indesejáveis as manchas brancas no restante da pelagem.

PELE: representa uma das características rácicas mais importantes. É grossa, solta em todo o corpo, principalmente no pescoço, onde se formam pronunciadas barbelas, estendendo-se, em muitos casos, pelo peito e abdome. Alguns exemplares apresentam uma dobra nas faces laterais da cabeça e, também, na cernelha, descendo até o ombro.

Com o cão em repouso, a cabeça não apresenta rugas; quando excitado, na contração para erguer as orelhas, a pele do crânio forma, entre elas, pequenas rugas longitudinais.

PELAGEM: formada de pêlo baixo, macio, espesso e bem assentado.

FALTAS: qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade.

FALTAS GERAIS: tentativas por meios artificiais de alcançar determinados efeitos; albinismo; deficiência de tipo; etc.

FALTAS LEVES: tudo que se afasta da descrição do padrão.

FALTAS GRAVES

l Focinho curto;

l Orelhas pequenas;

l Orelhas de implantação alta;

l Olhos excessivamente claros;

l Presença de rugas no crânio, estando o animal em repouso;

l Prognatismo inferior;

l Falta de 2 (dois) dentes;

l Papadas;

l Dorso selado;

l Garupa muito estreita;

l Cauda portada enroscada, acima da linha do dorso;

l Peito pouco profundo;

l Desvios acentuados de metacarpos ou metatarsos;

l Posteriores muito angulados;

l Passos curtos.

FALTAS MUITO GRAVES

l Cabeça pequena;

l Lábios superiores curtos;

l Stop pronunciado, visto de frente;

l Olhos protuberantes;

l Falta de 2 (dois) dentes, exceto os P1;

l Falta de barbelas;

l Apatia e timidez;

l Sensibilidade negativa ao tiro;

l Dorso carpeado;

l Linha superior plana;

l Linha inferior excessivamente esgalgada;

l Jarrete de vaca;

l Ausência de angulações dos posteriores (perna de porco);

l Ossatura leve;

l Falta de substância;

l Acima do máximo de altura;

l Marcações em branco que excedam ¼ (um quarto) do geral;

l Despigmentação nas pálpebras;

l Olhos redondos;

l Figura quadrada.

FALTAS ELIMINATÓRIAS

l Agressividade para com seu dono;

l Covardia;

l Nariz cor de carne;

l Prognatismo superior;

l Prognatismo inferior com dentes à mostra, estando a boca fechada;

l Falta de 1 (um) dente canino ou 1 (um) molar, exceto o 3º (terceiro);

l Olhos azuis, louçados;

l Orelhas ou cauda operadas;

l Garupa mais baixa que a cernelha;

l Todos os cães brancos, cinza-rato, malhados, manchetados e os pretos e castanhos;

l Abaixo do mínimo de altura;

l Ausência de pele solta;

l Ausência do passo de camelo.

NOTAS:

· os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.

· todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.

 

Fila Brasileiro standard in english ENGLISH VERSION


Fila Brasileiro Standard FCIOficial Fila Brasileiro Standard

 

 

ORIGIN : Brazil.

DATE OF PUBLICATION OF THE ORIGINAL VALID STANDARD :            10.03.2004.

 

UTILIZATION : Watch Dog.

CLASSIFICATION F.C.I. :
                     Group   2      Pinscher and Schnauzer-Molossoid breeds- Swiss Mountain and Cattle Dogs and other breeds.

                     Section 2.1.  Molossoid breeds, Mastiff type.
                     Without working trial.

GENERAL APPEARANCE : Typically a molossoid breed.  Powerful bones, rectangular and compact structure, but harmonious and well proportioned. Displays, together with a massive body, a great amount of concentrated agility which is easily perceived.  Bitches must show a well defined feminity which clearly distinguishes them from males. 

IMPORTANT PROPORTIONS :

  • The muzzle is slightly shorter than the skull.
  • The length of the body, measured from the point of the sternum to the point of buttock, is equal to height at the withers plus 10%.

BEHAVIOUR/ TEMPERAMENT : Courage, determination and outstanding braveness are part of its characteristics.  With its owners and family it is docile, obedient and extremely tolerant with children.  Its loyalty is proverbial, insistingly seeking the company of its master. 

One of its characteristics is its aloofness towards strangers. It displays a calm disposition, distinctive self-assurance and self-confidence, remaining unperturbed by strange noises or circumstances. An unsurpassed guardian of properties, it also instinctively indulges in big game hunting and cattle herding.

EXPRESSION : In repose it is calm; noble and full of self-assurance.  Never displaying a bored or absent expression.  When alert, its expression should reflect determination conveyed by a firm, penetrating look.

HEAD : The Fila head is big, heavy and massive, always proportionate to the whole body.  From a top view it resembles a trapezoid figure into which a pear shape is inserted.

CRANIAL REGION :

Skull : The profile of the skull shows a smooth curve from the stop to the occiput, which is well defined and protuberant specially in puppies.  From a front view it is large, broad with the upper line slightly curved. Lateral lines come down almost vertically, in a slight continuous curve narrowing towards the muzzle. 

Stop : From a front view it is practically non existent.  The median groove is slight and runs up smoothly to approximately the centre of the skull.  Seen from the side, the stop is only slightly pronounced and virtually only formed by the well developed eyebrows.

FACIAL REGION :

Nose : Well developed, broad nostrils not occupying entirely the width of the upper jaw.  Colour : black.

Muzzle : Strong, broad and deep, always in harmony with the skull.  Fairly deep at the root but not deeper than long.  Seen from above, it  is full under the eyes, slightly narrowing towards the middle of the muzzle and again broadening slightly to the front line.  Seen from the side, the muzzle is straight or has a Roman line, but never turned up.  The front line of the muzzle is almost perpendicular to the bridge of the nose with a slight depression right under the nose.

Lips : The upper lip is thick and pendulous and overlaps the lower lip in a perfect curve; thus the lower line of the muzzle is almost parallel to the upper line. The lower lip is tight and firm to the fangs and from there on it is loose with dented borders ending at the corners which are always apparent.  The muzzle has a good depth at the root but without surpassing the length.  Edges of the lips form a deep inverted “U”.

Teeth/jaws : The teeth are significantly wider than long. Strong and white. Upper incisors are broad at their root and taper to the edge.  Canines are powerful, well set and well apart.  The ideal bite is a scissor bite but a level bite is acceptable.

Eyes : From medium to large size, almond shaped, spaced well apart, medium to deep set.  Permissible colours – from dark brown to yellow, always in accordance to the colour of the coat.  Due to the  loose skin many individuals present drooping lower eyelids which are not considered a fault as such a detail accentuate the melancholic expression which is typical of the breed. 

Ears : Pendant, large, thick, V-shaped.  Broad at the base and tapering to the ends.  Rounded tips.  Attached at the back of the skull, in line with the eyes when in repose.  When roused, the ears are above the original position.  The root is oblique, with the front edge higher than the back edge. Falling over the cheeks or folded back showing the inside (rose ear).

NECK : Extraordinarily strong and muscled giving the impression of a short neck.  Slightly curved at the upper side and well detached from the skull.  Dewlaps at the throat.

BODY : Strong, broad and deep, covered by thick and loose skin.

The thorax is longer than the abdomen.

Topline : Withers, in sloping line, are set well apart from each other due to the distance between the shoulder blades.  Withers are set lower than the croup.  After the withers, the upper line changes direction, ascending smoothly to the croup.  Back line shows no tendency to sway or roach back.

Loin/Flanks : Shorter and not so deep as the thorax, showing distinctly the separation of the two component parts.  In females the lower part of the flank is more developed.  Seen from above, the loin is narrower than the thorax and croup but should not form a waistline.

Croup : Broad, long, sloping at angle of approximately 30 degrees to the horizontal and ending in a smooth curve. The croup is set a little higher than the withers.  From a back view, the croup is ample almost as wide as the chest and can be even  broader for females.

Chest : Well sprung ribs though not interfering with the position of shoulder.  Deep and broad chest reaching to the level of the elbows.  Well pronounced brisket.

Lower line : A long chest and parallel to the ground in all its extension.  Slightly tucked up but never whippety.

 

TAIL : Very wide at the root, medium set, tapering rapidly to reach the hocks. When the dog is alert, the tail is raised high and the curve at the extremity is more accentuated.  Should not be carried curled over the back nor touch it.

LIMBS 
FOREQUARTERS : The length of the leg, from the ground to the elbow, should be half of the height from the ground to the withers.

Shoulder : The shoulder structure should be composed by two bones of equal length (scapula and humerus); the former at 45 degrees to the  horizontal and the latter 90 degrees to the scapula.  The scapla-humerus articulation forms the point of shoulder which is situated at the same level but slightly behind the point of sternum.  In the ideal position, the point of shoulder should be half way from elbow to withers.  An imaginary perpendicular line coming down from the withers should cut the elbow and reach the foot.

Forearm : The limbs must be parallel.  Strong and straight bones.

Carpal joint (wrist) : Strong and apparent.

Metacarpus (pastern) : Short, slightly sloping.

Feet : Strong and well arched toes not too close together.  The dog stands on thick toes and pads which are long, broad and deep.  In the correct position, the feet should point forward.  Strong, dark nails; white nails permissible when the corresponding toes are white.

HINDQUARTERS : Less heavy boned than forelegs but never appearing thin compared to the overall build.  Hindlegs are parallel.

Upper thigh : Broad with curved outline shaped by strong muscles coming from the ilium and ischium which design the curve of the buttocks and for this reason the ischium must have a good length.

Tarsus (hock) : Strong.

Metatarsus (Rear pastern) :  Slightly sloping, longer than the metacarpus.  Moderately angled stifle and hock.

Feet : A little more oval than the forefeet but the otherwise identical. Should not present dewclaws.

GAIT/MOVEMENT  : Long and elastic feline-like strides whose principal  characteristic is the pace; a two beat lateral gait in which the legs of each side move back and forth exactly as a pair (“camel’s pace” or amble) causing a rolling or rocking motion of the thorax and hips accentuated by the tail when carried erect.  When walking, it carries the head lower than the back line. The trot is smooth, free and effortless with a long, powerful and reaching stride. The gallop is powerful, attaining unsuspected speed for such a large and heavy dog.  Due to its articulations, typical of molossoids, the Fila’s movements not only give the impression but actually allow him to make sudden and rapid changes of direction.

 

SKIN : One of the most important breed characteristics is the thick, loose skin over the whole body, chiefly at the neck forming pronounced dewlaps and many times it can extend to the brisket and abdomen. Some individuals present a fold at the sides of the head, also at the withers running down to the shoulders. If the dog is in repose, the head should be free from wrinkles.  When alert, the dog raises its ears and the contraction of the skin on the skull forms small longitudinal wrinkles between the ears.

COAT

HAIR : Short, smooth, dense and close to the body.

 

COLOUR : Any solid colours are permitted except the disqualifying ones.  Brindles with a solid coat and more or less dark stripes.

A black mask may or may not be present.  In all permitted colours white marks are allowed on the feet, chest and tip of tail.  White markings on other parts of the coat are considered a fault.

 

SIZE AND WEIGHT :

Height at withers :

Fila Brasileiro Males :      from 65 cm (25.6 ins) to 75 cm (29.5 ins) at the shoulder.

Fila Brasileiro Bitches :    from 60 cm (23.6 ins) to 70 cm (27.5 ins) at the shoulder.

Weight :

Fila Brasileiro Males :      minimum :  50 kgs (100 pounds).

Fila Brasileiro Bitches :    minimum :  40 kgs (80 pounds).

FAULTS : Any departure from the foregoing points should be considered a fault and the seriousness with which the fault should be regarded should be in exact proportion to its degree.

SERIOUS FAULTS :

  • Short muzzle.
  • Small ears.
  • Highly set ears.
  • Excessively light coloured eyes.
  • Wrinkles when the dog is in repose.
  • Undershot bite.
  • Double chin (folds in front of dewlap).
  • Sway back.
  • Very narrow croup.
  • Curled tail carried over the back.
  • Chest insufficiently deep.
  • Pronounced deviation of pastern or rear pastern.
  • Over angulated hindquarters (sickle hocks).
  • Short steps (poor reach).

VERY SERIOUS FAULTS :

  • Apathy and timidity.
  • Square build.
  • Small head.
  • Pronounced stop seen from the front.
  • Short upper lip.
  • Protruding eyes.  Round eyes.  Lack of pigmentation on eyelids.
  • Lack of 2 teeth except PM1 (first premolars).
  • Lack of dewlaps.
  • Roach back or level back.
  • Excessive tuckup.
  • Light bones.  Lack of substance.
  • Cow hocks.
  • Lack of angulation at the hindquarters (straight hocks).
  • White markings exceeding 1/4th (one fourth) of the body.
  • Height exceeding the maximum.

ELIMINATING FAULTS :

  • Aggressive or overly shy.
  • Flesh-coloured nose.
  • Overshot bite.
  • Undershot bite with teeth visible when the mouth is closed.
  • Lack of 1 canine or 1 molar except the 3rd one.
  • Wall eyes.
  • Cropped ears or docked tail.
  • Croup lower than the withers.
  • Dog not walking at camel’s pace.
  • Skin not loose and supple.
  • All dogs which are white, mouse-grey, carrying small or large marks; black and tan, blue.
  • Height inferior to the minimum.
  • Cryptorchids or monorchids, use of artificial methods to produce certain effects, albinism, lack of type.

Any dog clearly showing physical or behavioural abnormalities shall be disqualified.

N.B. : Male animals should have two apparently normal testicles fully descended into the scrotum.